Janet Leigh in Psycho

10 curiosidades sobre o filme Psicose

Empolgado após a minha visita na exposição “Hitchcock  – Bastidores do Suspense” (meu amigo Apolo Santana Vieira fez um belo de um artigo sobre a exposição lá no blog dele, confere lá), promovida pelo MIS, cheguei em casa e fui direto rever um dos meus filmes favoritos do diretor, o longa Psicose (1961). Claro que a aclamada cena de Marion Crane (Janet Leigh) gritando no chuveiro, enquanto é assassinada por Norman Bates (Antony Perkins) ainda gera impacto, mas o filme é muito mais do que uma cena icônica.

Esse é um dos meus filmes favoritos, não só pelo seu pioneirismo no gênero, mas por detalhes que podem passar despercebidos em um primeiro olhar. Para quem também admira o diretor Alfred Hitchcock, ou apenas, conhece bem a cena do chuveiro, separei 10 curiosidade que talvez você não conheça sobre o filme Psicose.

1 – Efeitos sonoros

Quando você escuta a faca supostamente atravessando o corpo de Marion, na verdade está ouvindo um facão passando por um melão. Esse foi o recurso utilizado pelo diretor para tornar a cena mais impactante, vale destacar também, que a produção apunhalou vários tipos de melões para encontrar o som perfeito.

2 – Referências do filme

O filme é baseado no livro “Psicose” de Robert Bloch, Hichcock comprou os direitos da obra por apenas 11 mil dólares.

3 – Complicações na produção

A Paramount, responsável por colocar as produções de Hitchcock em prática, era contra a produção do filme. Por isso, ele foi financiado pelo próprio diretor, que desembolsou 800 mil dólares e hipotecou a sua casa para conseguir o dinheiro, além de desistir de parte dos seus direitos financeiros.

4 – Uma cena icônica

A cena do chuveiro levou 7 dias para ser gravada e, oginalmente, não era para ter trilha sonora. Hitchcock queria focar no impacto que a cena por si só causava, porém, a a composição de Bernard Herrmann, chamada de Violinos Gritantes (“Screaming Violinos”), ganhou o diretor que inseriu na edição final.

5 – A série de Norman Bates

Para quem nunca assistiu, eu indico a série Bates Motel que mostra como era a vida do jovem Norman Bates com a sua sufocante mãe, Norma. A série inspirada no filme foi bem aceita pelo público, mas teve a sua última temporada anunciada no ano passado.

6 – O elenco de Psicose

elenco-psicose

Janet Leigh, uma grande estrela da época, aceitou fazer o filme por metade do seu cachê de costume. Apesar de ter sido a favor da contratação da atriz, a Paramount foi contra a de Antony Perkins. Sendo os estúdios, o rosto do ator não era conhecido pelo público, mas Hitchcock apostou nele, e claro, o mestre do suspense estava certo.

7 – Ainda sobre a cena icônica

Foram gravados 77 takes durante a cena do chuveiro, mas como deu para perceber , o diretor usou apenas 3 minutos.  Apesar do som cortante da faca, em nenhum momento o Hichcock mostra o objeto penetrando a vítima, e nem precisava, a sensação de tensão é ainda maior porque o espectador fica confuso com o que está acontecendo.

8 – Sobre o livro Psicose

A grande diferença entre o livro e o filme está na aparência do personagem principal e na motivação para  cometer os crimes. No livro, Norman Bates é retratado como um homem gordo e antipático, mas Hitchcock descordava dessa descrição para vilões. No filme, Norman é resultado de uma mistura de problemas psíquicos, já na obra de Robert Bloch, o assassino tem apagões ocasionados pelo álcool.

9 – A descarga

Pode parecer estranho, mas um dos elementos que chocou o público após o lançamento de Psicose, foi a gravação de uma descarga de um vaso sanitário. Exatamente, naquela época era de mal gosto mostrar esse tipo de ação, especialmente em close up, como foi feito no longa de Hitchcock.

10 – Uma história por traz da outra

psicose

O livro que inspirou o filme Psicose foi influenciado pela história de Ed Gein, um assassino frio de Winsconsin. Ele inspirou outros clássicos como: O Massacre da Serra Elétrica e O silêncio dos inocentes.

Curtiu a lista? Se você lembra de mais alguma curiosidade deixe aqui nos comentários.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *